terça-feira, 29 de novembro de 2016

Chapecó: O dia em que o Índio chorou - novembro 2016

Quero expressar a todos os familiares dos falecidos no terrível acidente aéreo desta madrugada na Colômbia, especialmente aos ligados à Chapecoense, que Deus conceda conforto e força neste momento de dor indescritível. A todos, e também aos meus amigos e à querida população de Chapecó e região, minhas lágrimas, minhas orações, um silencioso abraço fraterno e votos de paz.



O DIA EM QUE O ÍNDIO CHOROU

O corpo levemente curvado pra trás
Do guerreiro com sua arma a ostentar
Mostra o brado da vitória na batalha 
De um bravo que não se rende sem lutar.

O corpo levemente curvado pra trás
Do guerreiro a sua dor a extravasar
Traz à luz o duro golpe da derrota
De um bravo que não se rende sem lutar.

O corpo levemente curvado pra trás
Do guerreiro que cai sempre pronto a levantar
É o exemplo que inspira e motiva
De um bravo que não se rende sem lutar.

O corpo levemente curvado pra trás
De um guerreiro que seu sangue doou
É lembrança do mais triste dos dias:
O dia em que o Índio chorou.

(Wieland Lickfeld, 29/11/2016)

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Ipuaçu: documentário aborda os agroglifos do Oeste Catarinense - novembro 2016

O município de Ipuaçu virou notícia em 2008, quando pela primeira vez apareceram misteriosas circunferências numa plantação de trigo. A repetição do fenômeno nos anos seguintes fez com que os eventos chamassem a atenção da cineasta catarinense Cíntia Bittar e dos produtores da série sensacionalista Invasão Alienígena.



Canal History exibe hoje o documentário catarinense Círculos, que aborda o aparecimento de agroglifos no Oeste de SC


     Desde 2008, sempre na mesma época do ano, aparecem misteriosos agroglifos - circunferências de até 110 metros de diâmetro que surgem em plantações, geralmente de trigo - em Ipuaçu, no Oeste catarinense. A curiosidade sobre o assunto levou a cineasta catarinense Cíntia Bittar, da Novelo Filmes, de Florianópolis, a idealizar o documentário Círculos, que estreia hoje (23/11/2016), às 22h40min, no History, com reprise no sábado, no mesmo horário. O filme será exibido como parte da programação especial Invasão Alienígena, que vai até sábado, sempre a partir das 20h. 
     Primeiro documentário de longa-metragem sobre o surgimento de agroglifos no Brasil, Círculos acompanha a rotina dos habitantes de Ipuaçu e as investigações do editor-chefe da revista UFO, Ademar Gevaerd. Com 75 minutos de duração, a produção traz depoimentos de moradores como Mauro Tonin, operador de máquinas de agricultura que foi o primeiro a chegar no agroglifo de 2015 em Ipuaçu, Genuíno Begnini, padre da região que afirma já ter visto ovnis e Seu Valdemar, o dono da propriedade. As diversas teorias colaboram para que a narrativa tenha um quê de suspense e humor.
     - São personagens com senso de humor muito afinado, é impossível não se divertir. Mas o próprio mistério da situação acaba gerando um suspense. Então, esse clima está presente pelo tema e o humor por causa das pessoas que analisam a situação com pontos de vista bem distintos e teorias divertidas. A gente quis passar para o expectador a situação de estar lá - explica Cíntia, que assina o argumento e direção e também fez a produção ao lado de Ana Paula Mendes.
     A equipe da Novelo Filmes passou três semanas em Ipuaçu em outubro de 2015 na expectativa, já que os sinais costumam aparecer sempre nesta época do ano. Eles já estavam quase desistindo quando, no dia 31, foram fazer uma ronda pela manhã e encontraram algo estranho no meio de uma plantação. Em 2016, os círculos voltaram a ocorrer no Estado no começo de novembro. Além de Santa Catarina, Círculos também vai mostrar outras ocorrências que aconteceram em Prudentópolis, no Paraná - única cidade além de Ipuaçu a registrar o fenômeno no Brasil.
     Para definir se um agroglifo é realmente autêntico - ou seja, feito por extraterrestres e não por humanos - é preciso atender a alguns critérios, como o trigo deitado rente ao solo sem que o caule esteja danificado, como se tivesse sido penteado. Mas o foco de Círculos não é definir se o fenômeno é verdadeiro ou não, e sim mostrar a especulação e o impacto disso na cidade onde ocorrem.
     - Obviamente a gente nunca ia descobrir quem fez, mas as histórias são bem interessantes - resume Cíntia.

Fonte: Jornal de Santa Catarina - Anexo - 23/11/2016 - p. 14
Texto: Yasmine Holanda Fiorini
Imagem: Novelo Filmes - Divulgação

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Meio-Oeste e Oeste de SC: Desafios do agronegócio - novembro 2016


Fonte: Jornal de Santa Catarina - Coluna de Moacir Pereira - 17/11/2016 - p. 8

Joaçaba: Empresário Ivan Zanardo agraciado com a Medalha do Mérito do Legislativo Catarinense - novembro 2016


Fonte: Jornal de Santa Catarina - Coluna de Moacir Pereira - 19 e 20/11/2016 - p. 8
Imagem: autoria não divulgada pela fonte.

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Curitibanos: lançamento de livros na UNC - novembro 2016

Em sua edição de 04/11/2016, o Jornal de Santa Catarina divulgou o lançamento, em 09/11/2016, de dois livros no campus de Caçador da Universidade do Contestado (UNC). Um deles, de autoria do jornalista Moacir Pereira, homenageia Vicente Telles, pesquisador que se dedica à preservação da memória da Guerra do Contestado. 



Fonte: Jornal de Santa Catarina - Coluna de Moacir Pereira - 04/11/2016 - p. 9

    Três dias depois, uma pequena nota corrigiu o local de lançamento dos livros para o campus de Curitibanos da UNC.

Fonte: Jornal de Santa Catarina - Coluna de Moacir Pereira - 07/11/2016 - p. 9

     Vicente Telles esteve presente à cerimônia comemorativa dos 100 anos do término da Guerra do Contestado, realizada em Florianópolis em 24/10/2016. Na ocasião, autografou, juntamente com o autor, o livro escrito em sua homenagem.


Fonte: Jornal de Santa Catarina - Coluna de Moacir Pereira - 24/10/2016 - p. 9

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Chapecó: A campanha da Chapecoense no 1º Turno da Série A do Campeonato Brasileiro 2016 - maio a agosto 2016

A Chapecoense vem se firmando como uma das novas forças do futebol brasileiro da 1ª Divisão. Não é um time pronto para brigar pelo título, mas a equipe em momento algum se viu sob ameaça real de entrar no Z-4, a zona do rebaixamento para a Série B. Seguem alguns números referentes à sua campanha no 1º Turno da competição.

A vitória por 3 a 2 sobre o Cruzeiro na Arena Condá foi importante para manter a Chape na zona intermediária da tabela.

     Para a Chapecoense, o 1º Turno do Brasileirão 2016 teve início em em Porto Alegre, no dia 15/05, e terminou em 08/08, em Belo Horizonte. Sua campanha foi marcada por 05 vitórias, 05 derrotas e 09 empates. Apesar dos altos e baixos em alguns momentos, encerrou o turno numa confortável 11ª posição, com 24 pontos, na zona intermediária da tabela. Seguem os detalhes da sua campanha nas 19 rodadas do 1º Turno:

Jogo                          Resultado                         Pontos      Colocação  
  1          Internacional 0 x 0 Chapecoense              1                    8º 
  2       Chapecoense 3 x 1 América MG                  4                    2º 
  3                Flamengo 2 x 2 Chapecoense             5                     5º
  4       Chapecoense 1 x 1 Santa Cruz                     6                     9º
  5                   Coritiba 3 x 4 Chapecoense             9                     6º
  6       Chapecoense 0 x 0 Fluminense                 10                     7º
  7              Ponte Preta 2 x 1 Chapecoense            10                   10º
  8       Chapecoense 3 x 3 Grêmio                          11                   11º
  9                     Vitória 1 x 2 Chapecoense            14                     7º
10       Chapecoense 0 x 0 Atlético PR                   15                     8º
11                        Sport 5 x 1 Chapecoense             15                   11º
12       Chapecoense 3 x 2 Cruzeiro                        18                    9º
13                      Santos 3 x 0 Chapecoense            18                   11º
14       Chapecoense 0 x 2 Corinthians                  18                   13º
15              Figueirense 1 x 1 Chapecoense             19                   13º
16       Chapecoense 2 x 1 Botafogo                        22                  10º
17                São Paulo 2 x 2 Chapecoense             23                   11º
18       Chapecoense 1 x 1 Palmeiras                      24                   10º
19             Atlético MG 3 x 1 Chapecoense             24                   11º

     Das cinco vitórias, três aconteceram em casa, contra América-MG, Cruzeiro e Botafogo, e duas fora, contra Coritiba e Vitória.
     Dos nove empates, cinco se deram em casa, contra Santa Cruz, Fluminense, Grêmio, Atlético-PR e Palmeiras, e quatro fora, contra Internacional, Flamengo, Figueirense e São Paulo.
     E das cinco derrotas, apenas uma ocorreu em casa, contra o Corinthians. As demais, contra Ponte Preta, Sport Recife, Santos e Atlético-MG, aconteceram na casa do adversário.

Imagem: Sirli Freitas - Especial - Disponível em www.dc.clicrbs.com.br

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Contestado: 100 anos do Acordo de Limites entre SC e PR - outubro 2016

No mapa abaixo vemos como o Estado do Paraná enxergava seus limites territoriais em 1912. Observamos que seu território ia até a divisa com o Estado do Rio Grande do Sul, englobando todo o Meio Oeste, Oeste e Norte de Santa Catarina. Obviamente por aqui víamos a coisa com outros olhos e, há exatamente 100 anos, um acordo pôs fim a esta disputa. A linha vermelha, inclusão nossa, mostra a divisa atual entre SC e PR. O texto que segue foi publicado pelo Jornal de Santa Catarina.


     
     





     O dia 20 de outubro tem registro histórico no calendário de Santa Catarina. Há exatamente 100 anos, era assinado, no Palácio do Catete, no Rio de Janeiro, com as bênçãos do presidente Wenceslau Braz, o acordo de limites com o Paraná. Histórico por vários motivos. É o documento oficial que marca o fim da Guerra do Contestado, o maior conflito bélico de Santa Catarina e um dos mais longos, penosos e trágicos de toda a história do Brasil. Uma guerra que começou em 22 de outubro de 1912 com o Combate do Irani, envolvendo caboclos catarinenses e policiais militares do Paraná, no qual morreram o carismático monge José Maria, líder dos catarinenses, e o capitão João Gualberto, comandante da tropa do Paraná.
     Marcante porque deu fim a uma polêmica judicial entre Santa Catarina e Paraná que durou décadas. Remonta ao século 19 e, do ponto de vista formal, teve início em 1900 com ação impetrada por Santa Catarina no Supremo Tribunal Federal, tendo como advogados o conselheiro Manoel da Silva Mafra, Afonso Celso de Figueiredo e Epitácio Pessoa, que depois seria presidente da República. A decisão foi favorável aos catarinenses, mas o governo do Paraná entrou com recurso. A partir daí, a defesa catarinense foi vitaminada pela participação do Visconde de Ouro Preto. E do lado do Paraná, um dos mais respeitados juristas do País, Rui Barbosa, que entrou com novas contestações.
     Depois de três vitórias no STF da ação de Santa Catarina, o confronto mereceu atenção do presidente Wenceslau Braz, que intermediou uma ampla negociação com os governadores Felipe Schmidt (SC) e Afonso Camargo (PR). Foi uma vitória política do presidente.
     Mais do que representar a pacificação entre os dois Estados, o Acordo de Limites foi comemorado com foguetório no Rio porque representava o fim das violências e da Guerra do Contestado. Uma guerra que ainda está para ser resgatada.

Texto: Moacir Pereira
Fonte: Jornal de Santa Catarina - Coluna de Moacir Pereira - 20/10/2016 - p. 6
Imagem: Coletânea de mapas históricos do Paraná - disponível em www.itcg.pr.gov.br

Na edição do dia seguinte, o Jornal de Santa Catarina publicou a seguinte contribuição de um leitor:













Fonte: Jornal de Santa Catarina - Do leitor - 21/10/2016 - p. 18